segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Feliz Ano Novo

 O ano de 2010 foi para mim um ano muito conturbado, de provações e aprendizados. De sofrimento e alegrias, foi um misto de experiências inimagináveis, apesar da fascinação  pelo progresso, estamos, todos,  aos poucos,  emergindo da subjetividade, e graças a estas provações cresci no voluntariado, na tolerância e nas diferenças. Este é um processo constante e graças a Deus ele é e deve ser assim, porque na verdade nunca estamos prontos, temos sempre alguma coisa a aprender, algo a renovar, o que paradoxalmente acaba por descortinar novas lutas, e este é o ciclo da vida, este é o belo e assim deve ser.
 Conheci bem de perto uma pequena depressão onde ainda requer uma luta constante contra o que me oprime, o que me machuca, e nesta luta diária percebo ainda mais a necessidade de agradecer a Deus por conhecer melhor as pessoas e de descobrir novas visualizações da vida.  Aprendi e assim continuo,  que não se deve perder tempo em sofrer pelo o que ainda não chegou, não aconteceu.
 Com relação ao transplante de medula óssea da minha filha, sofri demais pelo o que podia acontecer, não só com o transplante em si, mas com tudo que somos obrigados a deixar por um bom tempo, como o marido, as outras filhas, uma estabilidade de vida, o comodismo humano, etc e assim muitas sombras aparecem e nos temorizam e sofremos por perceber nossas fraquezas e nossos medos,  e estes quando nós o enfrentamos, vemos que não era o fim do mundo, muito pelo contrário, era e está sendo o início de uma nova vida, com esperanças e boas expectativas. A vida realmente é um dia de cada vez. Esta é a essência. Esta é uma verdade que ainda estou aprendendo a vivenciá-la. Minha filha está muito bem, minhas outras filhas também e meu marido continua do nosso lado, como sempre o foi. Ou seja, o temor ao que não aconteceu é muitas vezes inaceitável, porém, ele existe, infelizmente, e temos que enfrentá-lo, com fé e coragem, sempre!
 A espera deste ano de 2011 traz-me a sensação que será de paz, de esperanças e de muito amor. Ao aguardar esta passagem, tento me imbuir de bons pensamentos e de fé, o que me faz lembrar que Jesus nos disse: "Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância", e isto é inimputável. Fica claro para todos nós cristão que precisamos beber destas palavras e que façamos em abundância mesmo! Muita saúde, muito amor, muita paz, compreensão... Mas para recebermos é preciso ANTES dar, estar a disposição, perdoar, amar e alimentar carne e espírito do necessário para receber desta abundância.
Portanto também não devemos encarar somente como uma passagem, não é simplesmente um adeus ao ano velho e nem tão somente desejar um feliz ano novo, é preciso estarmos juntos e de mãos dadas, não somente com nossos familiares mas com todos que estejam precisando. É preciso haver troca, é preciso estender a mão. E assim espero que tenha sido o Natal para todos, um reencontro com Cristo. Comemora-se o aniversário de nascimento de NSJC, e nesta data,  a comemoração deve ser diária. Porque o dia 25, historicamente foi uma escolha por coincidir com a Saturnália dos romanos, festas germânicas e célticas, festas estas pagãs e a Igreja viu aí a oportunidade de cristianizar a data, mas não devemos importar com fatos, pois o importante é que é  o aniversário de Jesus e devemos comemorar e que estejamos sempre imbuidos de muito amor. Este é o espirito de Natal. E com este mesmo amor ao próximo devemos continuar.

Por tudo isso, é que vejo que tenho tão somente que agradecer pelo ano de 2010. Tudo vale a pena. Tudo é aprendizado, tudo faz parte da nossa caminhada e quanto melhor aceitarmos, melhor será para continuar para seguir em frente!
 E neste respeito ao outro, e em outros povos,  lembramos que a festa do ano novo apesar das diferenças culturais, tem o mesmo espírito de fé e esperança. Começando pela  ceia de Ano Novo que traz para muitos  outros  significados, elas geralmente são fartas se comparadas ao dia a dia, o arroz que é uma semente que simboliza riqueza, a fertilidade,  e ainda há países que só consomem alimentos brancos;  a champagne  pela pureza,  se de qualidade , por isso a preferência pelas francesas, as lentilhas pela sorte, a carne suína por prosperidade, a romã que é símbolo de fartura e fertilidade, as uvas e o vinho que traz positivismo e otimismo e ainda   há fogos de artifícios que são belos aos nosso olhos, o que reflete a felicidade e a esperança no coração de todos, e assim existe o desejo em todos nós de boas novas, independente da raça ou credo.
Ano Novo começa sempre com o equilíbrio entre a confraternização e Paz. Então deixemos o ódio, a ironia, as diferenças para trás.  Sabemos das guerras, mas também vamos acreditar no diálogo, e sobre isso conhecemos a célebre frase de Kofi Annan
"Eu vejo que o diálogo é a chance para as pessoas de diferentes culturas e tradições se conhecerem melhor, estejam elas em lados opostos do mundo ou de uma mesma rua".
E em   2 Cor 5:17 temos "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo".
Portanto desejo a todos nós, que sejamos uma nova criatura, o velho já passou, tenhamos Fé e Diálogo, e desta forma, não teremos dúvida, teremos um excelente 2011.

Portanto, amigos convido voces a orarem:
Senhor!
Nós agradecemos pelo ano de 2010, e pedimos por todas as pessoas que passam por provações nesta terra, olhai para as pessoas que sofrem nos hospitais, nas prisões,  nos que se sentem aprisionados de alguma forma, pelos pedintes, pelos moradores de rua que passam frio e fome, e por tantos outros menos favorecidos que precisam de Ti Senhor.
Pedimos pelos preconceituosos, para que estas pessoas vejam no próximo tão somente o ser humano que é, que todas as religiões se unam em Nome de Ti. E  agradecemos ainda  por estarmos aqui e agora no curso de nossa jornada, que todas as famílias permaneçam unidas. Que sejamos abençoados conforme for nosso merecimento.
Eu Senhor creio em um ano novo de bençãos, porém se de mim as adversidades se aproximarem, tenho certeza, nada temerei, eu as aceitarei porque sei que Tu estarás comigo, sobre meus ombros nada pesará. Porque suas bençãos continuará.
Abençõe  e console ainda Senhor, mães, pais e filhos que perderam seus entes queridos, eles estão com toda certeza ao lado de Ti. E como a vida continua, nasce, como nascerá o ano de 2011, pedimos mais uma vez Sua Benção para todas as nações, para todos os povos, com Fé e diálogo.

Que todos os corações se alegrem e se confraternizem.

Feliz 2011!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Questionando Mudanças

Questionamentos fazem parte da minha vida como necessito de ler ou estudar para crescer intelectualmente. Não adimito parar no tempo, por mais que a parte arcaica de mim me bloqueie às vezes.

Hoje meu pensamento fixou nas diversas formas de mudanças pelas quais passamos ao longo da vida. Então pergunto: Será que as pessoas tem que estar da mesma forma todos os dias?
O mesmo humor, o mesmo sorriso ou a mesma lágrima... acho que não... Estas incongruências de nossas reações em relação ao que nossos olhos captam, nossos sentimentos e inúmeros outros fatores é que nos levam a reação, positiva ou negativa, e em tudo vai depender da otica com que nosso cérebro ou coração, analisou a questão.

As estações do ano nos mostra as transformações da natureza e cada pessoa elege a "sua" estação.
Particularmente o meu favoritismo às estações dependerá do meu estado espiritual. O outono no Brasil é melancólico, nos USA achava espetacular. Porém acho a primavera em qualquer lugar imbatível. E com toda certeza somente nesta simples escolha de uma estação encontraremos as mais variadas respostas, pois ao compartilharmos conteudos, admirações, belezas, gostos e etc, nossa escolha foi inspirada num olhar muitas vezes crítico da situação vivenciada e acho que é isto que nos leva a experimentar a vida com mais consciencia.

Acredito ser natural as mudanças no ser humano, não as físicas, ou as que a idade lapida, pois é assim que vejo a velhice, não vejo as rugas, prefiro ver as melhoras, agora se as rugas chegarem e o enriquecimento enquanto humano, não for renovado, lapidado, talvez não tenha valido a pena suas rugas, porque é provável que não tenha aprendido, e isto é muito triste.

Não acredito muito em instabilidade emocional, acredito que na verdade são os fatores que nos cercam que nos fazem assim sentir. É claro que partindo do pressuposto que este ser viva em um meio saudável, onde haja controle dos fenômenos que estão a sua volta. Se estes fatores sofrem esta variação, a estes fenômenos, acredito que este ser se sinta provocado e seu comportamento seja alterado.

Esta alteração pode começar em casa e ser transferida inconscientemente para o trabalho, ou vice-versa, e ainda assim deveriam ser encaradas como ocorrências da nossa vida. Porém tudo pode e deve ser moldado.
Como bem disse um filósofo certa vez: "os rios nunca são os mesmos porque suas águas nunca são as mesmas.

Acredito que somos um pouco assim, não tão livres, infelizmente, mas atingidos de várias formas o que nos abriga a mudar.
O ser humano sofre desde o seu nascer com fatores externos que provocam a continuar o caminho, a exercer aqui um papel pré-determinado talvez, mas que podem ser mudados porque nos foi concedido o livre arbítrio, não somente a escolhas entre o bem e o mal, amar ou não a Deus, mas escolhas, como a palavra o diz, simples, complexas, não importa, o que vale é como escolher e acima de tudo, ter responsabilidade com a decisão; decisão esta que se a tempo, pode ser mudada.

Mais difícil de trabalhar dentre todas, são as variações de humor, elas são "aceitas" na adolescencia, na gravidez, nas doenças por algum distúrbio etc, mas quando pelo menos aparentemente não há razão, pode ser o caos, e é deste caos é que está hoje meu maior questionamento.

Se isto acontece com tanta frequencia a grupos de pessoas "aparentemente" saudáveis, onde não se encontra uma razão plausível para mudanças de humor, o que fazer?
Pois e!!!! temos consciência da interferência por fatores genéticos, do meio, hormonal e tantos outros, mas esta alteração incide quase que diretamente às pessoas do convívio diário. Porém se encarada pelo indivíduo e pelo os que o cercam, como mero acaso da vida, respeitando espaços e entendendo a volatilidade dos sentimentos, e nesta hora, sem questionamentos externos, estariam todos ajudando a sair deste estágio que nem o próprio envolvido suporta muito bem. Mas há de se saber ainda que o respeito às várias formas e nuances que cada pessoa apresenta é primordial para que todos, em menor tempo, ache o equilíbrio e consiga conviver melhor, ou reagir melhor com os efeitos que fatores externos exerçam sobre nós, simples e mortais, chamados humanos.

Assim me questionei hoje, e como sempre, reservo-me o direito de mudar, mais uma vez, desde que seja para crescer, sempre!

domingo, 28 de novembro de 2010

Incredulidade e intolerancia

Apesar do veto já sofrido ainda assim resolvi publicá-lo, pois estas são hoje, "as minhas letrinhas", o prazer que tive em elaborar, não pode ser em vão. Aí está. Compartilho com voces.


Em alguns momentos de nossas vidas ficamos introspectivos e isto acontece sempre quando sentimos a necessidade de nos conhecermos melhor interagindo com nossas emoções, num estudo de auto-análise, às vezes com um objetivo fútil mas às vezes, nossa última esperança de salvação.

Conhecer nosso estado mental e assim elevar nossa consciência a um nível superior ao do presente instante em que nossos pensamentos possam tomar formas maiores que a nossa capacidade para interpreta-los. E no embate entre nossas memórias visuais, nossas crenças, o que ouvimos, falamos, procuramos uma resposta nem sempre possíveis, bem provável por falta de conhecimento, seja tecnico, científico, uma infinidade de conceitos culturais que nos impedem a chegar a alguma conclusão.

A melhor forma, para mim, é escrever, colocando para fora todas minhas perguntas e ao mesmo tempo tentar responde-las. E se não conseguir, não terá importância, não me estagnei, tentei, e já terá valido a pena.

Termos como incredulidade, intolerância, razão e ética, mal e corrupção, às vezes faz com que minha mente navegue por mundos que talvez nem existam. É realmente como um cruzeiro, em um navio de luxo, que apesar da aparência segura, as águas por onde navega nem sempre são tranqüilas, podem ser tortuosas para quem nele navega, tranquilas ou não, assim como pode naufragar ou vencer a tormenta.

E neste universo que é a mente humana, retorno a um tempo de grandes mudanças, percebo que sempre houve erros graves e acertos brilhantes, como na intolerância da igreja catolica, com erros xenofóbicos, sanguinários e vingativos, onde até hoje obriga ao Papa desculpar-se por eles, ou como no Islamismo até nos dias de hoje, através de sua bandeira promovem barbáries em nome do direito divino.

Estes são pequenos exemplos, mas sabemos que existem aos milhares no passado, assim como sabemos que destes erros, assim como que nas grandes guerras foram tirados ensinamentos riquíssimos, de grandezas incontestáveis.

Porem o ser humano teima em continuar em seu mundinho particular e egoista. Se todos procurássemos evoluir, por menor que seja o passo dado, talvez salvos seríamos de intolerâncias e seriamos mais crédulos.

E nesta viagem sem fim da mente, pergunto-me se a inteligência é nata ou é uma questão genética, não sei a resposta, pois acredito, que também possa ser um conceito pessoal, variando de pessoa para pessoa.

Acredito fielmente que Jesus é infinitamente mais inteligente que todos, e pregou todo o tempo a igualdade, mas o que seria este igual, já que os homens não querem ser, uns querem ser sempre mais poderosos que os outros. Será então que neste quesito Jesus pregou em vão? Não acredito, pois uma vez uma semente plantada, ela há sempre de germinar, basta enterrá-la? Às Vezes, em outras há a necessidade de verificar o ph da terra, da retirada da erva daninha, do adubo,e da água. E se trazemos isto para nossa vida e interpretarmos cada problema, cada situaçao como sendo esta semente, acredito na obtenção de bons frutos.

Portanto acredito que Jesus falava de uma igualdade diferente da palavra que existe no dicionário, Ele não quiz dizer, faça de sua vida uma matemática simples, onde 2 + dois são 4. Acredito mesmo que Ele nos disse, lute para que seja um homem bom, sedes humilde e saiba ouvir independentemente de quem seja o outro, e se disposto a dialogar entenda o coração, não seja egoista para com o outros... matematicamente como muitos querem a vida, só teria um conselho nesta conclusão, e que eu mesma não esqueça, que é a equalização da vida, a balança entre o bem e o mal, a balança da incredulidade e da fé e assim sucessivamente.

Se cada indivíduo pudesse ou tivesse condição e vontade de melhorar, tudo seria mais fácil, mas a verdade é que a natureza humana gosta e aprova todas as controvérsias, ou se tudo de paz fosse, talvez tambem perderíamos o sentido de viver. Porém ainda assim acredito que os "mass-media", grandes intelectuais, as religiões podem contribuir por um mundo melhor. Homens como Richard Dawkins, Umberto Eco e Noam Chomsky, considerados hoje como os maiores intelectuais da atualidade, poderiam e muito colaborar, mas à medida que se intelectualizam, mais distante de Deus e dos homens ficam, sempre me pergunto a razão de tudos isto. Seriam as falhas entre o que a biblia diz e o que a ciência diz? E daí? pergunto eu. Todos os livros sagrados foram escritos por homens e nos somos passíveis de erros,e na minha pequena cabeça, simplesmente imagino que um apõstolo exagerou em alguma passagem, assim como nós mães um dia exageramos em alguns conselhos aos nossos filhos para que um mal maior não acontecesse. Simples assim, porém esta simplicidade seria indubitavelmente motivo de riso para muitos, mas não me importo. A vida tem que ser simples, sincera... Mas também sei da importância da ciência e de homens como estes, porém eu SINTO que Jesus é soberano! E acredito que um dia Ciências e religiões se dêem as mãos.

Esta incredulidade, que nada mais é do que uma recusa no crer, nasce da rejeição pela simples conveniência do ser humano em muitos casos. É impossível sufocar uma verdade, se a simples existência dela, nos obriga a conviver com ela diariamente. Então que sejamos simples, verdadeiros, sem rodeios, sem mentiras... Isto não e fácil, faz doer muitas vezes, porém por pior que seja uma verdade com o passar do tempo descobrimos que o mal causado no presente é o que te fará crescer no futuro.

Sei, que precisamos de obras divinas no coração, de uma mente aberta, para que afeições não sejam afetadas, por isso para que semar a dúvida, se ela geralmente advém de uma fraqueza, e desta fragilidade, aproveitam pessoas e circunstâncias para em nós prevalecer, pois o que vivemos e a teologia parecem não se harmonizar, mas vejam bem, só parecem, o cérebro humano é complexo sim, mas é harmonioso, é regido pelos nossos pensamentos, creio eu, se conseguirmos este equilibrio no pensar, tudo o mais será passado logo.

Existem duas frases que me ajudaram no dia hoje e que vieram de encontro a tantas letrinhas que pela minha mente passaram: a primeira é de São Francisco de Assis "Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível", a segunda é de Clarice Lispector: "escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada.

domingo, 21 de novembro de 2010

Cântico de amor aos 25 anos de casados!

Existem pessoas que possuem um equilibrio e dominio sobre todas as coisas, inclusive sentimentos, mas existem pessoas que simplesmente vivem o que lhe é apresentado. Esta transparência estampada ao olhar do outro em nada ajuda, muitas vezes atrapalha. O equilibrio é importante e saudável, e ambos os casos tem seus pros e contras, e não estou preparada para discuti-los com propriedade, porém sei que sou o segundo caso, e dentro desta transparência do que penso e sinto, quero hoje simplesmente cantar ao amor.

O amor não pode ser quantificado e nem mesmo limitado, simplesmente se ama. Se duas pessoas pertencem a dois universos diferentes, não terá problema, pois um ha de se ajustar ao outro e se conseguem esta proeza , não haverá nada nem ninguém que ambos amarão mais do que um ao outro.
Sinceramente acho que o meu amor se enquadra perfeitamente neste pensamento. O universo pode ter varias conotações e conceitos, o mais conhecido pode ser que não sabemos o tamanho do nosso Universo porque ele é muito vasto para ser medido. Ele pode ser infinitamente grande ou conter outros Universos. Porém me refiro a um universo bem menor, o do conhecimento, dos sonhos...

Sinto-me feliz com o tamanho do meu, meus sonhos são limitados, e isto se deve a grande necessidade de se ter os pés no chão. Mas sei que apesar disto poderia sonhar muito, mas não sonho fácil, mesmo porque o futuro depende de nós, mas pertence a Deus. Ainda assim, confundem sonhos e objetivos de vida; eles estão interligados até certo ponto sim, ou seja quando fazemos destes sonhos nossos objetivos, aqui então valerá a pena, mas sonhar simplesmente de nada adiantará.
Tive vários sonhos obviamente, com objetivos foram poucos. Falha minha.

O que poucas pessoas entendem que hoje aos 54 anos meu objetivo é continuar amando minha família e o que a ela forem integrando. Já amo muito meus genros, e sei que sem sombra de dúvidas vou amar como a minhas filhas, meus netos.

Hoje, contudo quero dizer do meu amor pelo meu marido. Amo-o sem medida, sem quantificá-lo, as vezes sufocante, as vezes calmo e sereno. E enquanto sentir que este amor vale a pena, e hoje vale, e tenho certeza que realmente não ha nada que não amamos mais que um ao outro, não importarei com as tempestades, porque elas também acalmarão. Amor e feito de dois. E se ainda somos dois, temos que amar mesmo, muito.

Esta distãncia em kms, as vezes 1000 (Curitiba) as vezes 100 (fazenda) será muito pouco para deixar de quere-lo de deseja-lo e de sentir muitas saudades.
Tudo isto so me faz sonhar que vencida todas as etapas, não haverá nada que nos separe, talvez um lençol, talvez um simples sopro, talvez, absolutamente nada. Amo Voce.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Voltando para Casa

Um Transplante de Medula Óssea (TMO)consiste basicamente em internação, colocação do cateter, biópsia da medula, condicionamento (quimio e/ou rádio), recebimento da nova medula, e a espera dos primeiros resultados de exames para saber se a medula esta reagindo ou não. Nesta espera cada paciente reage de uma forma, cada caso é unico, inclusive na forma de reagir no comum a todos.

Quando fomos para Curitiba em Junho de 2010, para a realização do TMO de minha filha, havia uma ansiedade, um medo do desconhecido, e também havia muita esperança e fé.
Lembro-me da internação, da dificuldade imensa de deixá-la no hospital, da espera angustiante do horário liberado para vê-la... Lembro-me de cada fração de segundo que me pareceram uma eternidade. Do recebimento da nova medula, 08 de julho, até o dia da liberação para passear em casa, da alta (hospital_casa em Curitiba) e depois na convivência diária com pessoas passando pela mesma situação. Todos ali são também doutores em algum dado, magnésio, neutrofilos, leucocitos, hemoglobinas, plaquetas, doença do enxerto contra hospedeiro, citomegalovirus etc, ou seja cada um passa a se interessar obviamente aos numeros que seu organismo esta mais sensível. Esta é a realidade dos primeiros cem dias de um transplantado.

Porém, paralelo a tudo isso, vão acontecendo naturalmente, amizades que mesmo não se vendo mais, devido até mesmo, em alguns casos, a grandes distancias, que fazem bem, onde se compartilhou, dores, alegrias, esperanças...uma infinidade de sentimentos, muitos deles desconhecidos até então, porém que fizeram valer a pena cada segundo desta convivência.

Quando os Cem dias vão se aproximando, a ansiedade do retorno a nossa casa, vai aumentando na mesma proporção da angustia que toma conta da gente, em deixar aquela segurança, de estar ali, bem pertinho dos medicos e do hospital que mudou nossas vidas para sempre.
É muito difícil explicar isto, porque cada pessoa interpreta de uma forma este retorno. Pois no fundo sabemos que temos de continuar a agradecer a Deus por todas as dádivas, por ter nos dado ombros para sermos fortes. E por mais que estamos concentrados no que esta acontecendo ali naquele instante, fatores externos a todo este cuidado, acabam por interferir e confundir sentimentos. Só que o foco diário não pode ser dissipado e apesar de tudo, de ter tido grandes lições de vida, de ter vivido e presenciado que em certos momentos da vida, só existe uma forma de continuar andando e que a célebre frase: um dia de cada vez é real e verdadeira, temos que encarar o fato, que é preciso voltar e recomeçar.

E é recomeçar mesmo, foram 4 meses de ausencias do mundo, onde só o transplante fazia presente. Voltar para casa significa, a continuação dos cuidados e toda sua vida que voce havia deixado. Agora é preciso conciliar tudo.
De qualquer forma, a alegria é imensa, a satisfação de estar deitada em sua cama, no seu travesseiro, junto de todas as pessoas que amamos não tem preço. Mas infelizmente existe o medo.
Este medo vai passando aos pouquinhos, bem devagar. Voce se pega "n" vezes observando se tudo esta bem mesmo. Os cuidados em nossa casa, para mim é maior, exige uma maior concentração. Existem muitos fatores que interferem nesta concentração e devemos aceitar todas. Faz parte da celebração da vida esta continuação.
Hoje estamos em casa, fazem 135 dias desde o recebimento da nova medula, isto significa, 135 dias de uma nova vida, de esperanças concretizadas. Isto é importante, tudo o mais pode esperar. Temos até Julho de 2011 de cuidados importantes para uma vida futura saudável. Mas o que é um ano na vida de um ser humano, se pode vivê-la intensamente por todos os outros anos que lhe forem permitidos por Deus!

Agradecemos, a Deus acima de tudo e de todos,ao doador anônimo da Kelly, a todas as pessoas que nos ajudaram a conseguir que mais pessoas doassem sangue e plaquetas, a toda equipe médica e de enfermagem, aos dois anjos de guarda da Assistencia Social, a todos diretamente envolvidos com TMO do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, ao Dr. Adilson em Uberlandia, a todos os amigos que fizemos um abraço enorme; quando escrevemos nomes corremos o risco de não sermos justos, por outro lado algumas pessoas tem que ser mencionadas, como O Pastor Nilson e a Cristine, a Jessica e toda sua família, a enfermeira Gabi, Gelson e Roze, duas pessoas que me apoiaram e me deram ombros quando tive problemas maiores que podia suportar, enfim estas dentro de muitas outras ficarão comigo para sempre.
A amigos que só de saber que estavam ali mais perto de nós, já nos ajudaram muito, como a Ana Cristina, o Vitinho e a esposa, a tia da Ludimila...
A toda minha família que sem o apoio de todos eles tudo teria ficado mais difícil, em especial a minha irmã Maria de Fátima e a minha mamãe, a minha eterna gratidão por tudo, tudo!
Ao meu marido, às minhas filhas, aos meus genros Otavio e Douglas, não preciso dizer nada porque eles estão inseridos em todo o contexto, nas alegrias e tristezas. Fomos um só nesta fase de nossas vidas!
Obrigada a todos pelo carinho e apoio.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Fe em cada um de nós e a Deus acima de tudo

As pessoas tendem a viver em grupos similares, raras são as exceções, depois da vida escolar. Mesmo quando já são profissionais, e ainda, até mesmo no tempo de estudantes, grupos vão se formando com tendência ao social e cultural balanceado.
Percebe-se claramanete que a formação destes grupos são plenamente aceitados ou visto pela sociedade como normal. E até certo ponto existe uma explicação para isso, que são interesses comuns, ideiais e uma infinidade fatores que explicariam tais atitudes.
Porém, atualmente venho questionando onde se encaixa em tudo isto, a cristandade, a fé, o nosso Deus.
Ser solidário é dever de todos nós em todas as circunstâncias, mas percebo uma solidariedade egoísta entre as pessoas. A solidariedade com o próximo, não deve estar no mais próximo de você, mas ao próximo que Jesus falou, não importa quem, simplesmente seja.
Tudo que pensamos é fácil, mas tornar real ações e fatos que tornem este mundo melhor, é necessário que muitas barreiras sejam quebradas, e depende de uma série de fatores e acima de tudo, depende de cada um de nós, um esforço contínuo, um exercício real e diário de boas ações, de mudança do modo de enchergar, uma mudança drástica de atitudes cristãs principalmente.

Esta mudança só acontecerá se as famílias mudarem e ensinarem aos filhos, com exemplos principalmente, que independentemente do meio ou dos grupos que vierem a conviver, o real significado da fé.
A fé no humano em toda sua complexidade. Estamos perdendo a fé, não num santo, ou a uma religião, mas a fé a vida, uma fé mais afetiva, com consciência.
Observando os laços familiares percebe-se alguma coisa trincada, fechada entre pais e filhos, tão somente. E talvez aqui, nesta ruptura, possa estar um pouco de nossos erros.
Com o passar dos anos passou-se a ser considerado que familia é formada por um homem, uma mulher e os filhos que dali nascerem. Mas não pode ser assim. Esta é somente uma nova família que veio integrar a uma família ja existente. E a adaptação e a aceitação de novos membros a estas famílias é um exercício cristão, um exercício de fé.
Quantas avós ajudam a criar os netos, quantos cunhados já não lhe estendeu a mão, quantas sogra(o)(s) ja te ajudou e assim sucessivamente. Este é o lado da fé nas famílias que deve ser em toda sua dimensão trabalhado. Porém rir das piadas é sempre mais fácil, so que esquecem que seus filhos aprendem a rir do sério tambem, e um dia seremos sogro(a), avós....a roda da vida. A perfeição de Deus.
Percebe-se tudo isso claramente nas dificuldades, na doença, e a diferença entre quem tem fé e quem não a tem, é vista até nos resultados de uma recuperação, ouso dizer inclusive que pode ser a diferença entre a vida e a morte. Neste momentos é muito fácil ver alem da materialidade. Mas deveríamos ver em todos os momentos de nossas vidas, principalmente nos bons.
As famílias, como um todo, que advém de um casamento e ele não foi criado pelo homem, ele é um grande e maravilhoso projeto criado por Deus e assim deveria ser visto por todos aqueles que se propoem a vivê-lo, deveria urgentemente rever conceitos e atitudes.
A modernidade, a evolução, as facilidades que tudo isto nos oferece é fruto da nossa inteligência, então porque não usarmos esta inteligência para o lado humano tambem.
A equalização entre humano e máquinas nos dias de hoje só será possível se o humano que existe dentro de cada um de nós, for capaz de entender que dentro de cada ser bate um coração, com sentimentos e angustias e que um sorriso ou uma lágrima sempre dependerá do humano e não da máquina.
A internete globalizou, ninguém mais se imagina sem ela. Mas o embate Família/Internete precisaria de um capítulo a parte!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Por detrás das "câmeras" ...

Do que quero falar hoje, tem sido discutido exaustivamente em Universidades, trabalhos científicos e etc, como pude constatar.
Existem "n" artigos e até livros sobre o assunto. Mas o que pude perceber como testemunha no convívio diário por meses nos corredores de um hospital, é que a realidade de muitos nada tem a ver com as teorias ou trabalhos práticos vindo de organizações e/ou governos.
Estamos em época de política, e para variar, ninguém ou uma minoria conhece as intenções de cada um desses que querem governar o país, porque a sujeira é tanta, que passam o tempo todo, se defendendo, e o pior, num horário nobre, nunca aproveitado em prol de alguma coisa útil para este país. E o que é mais pobre ainda, é perceber que na maioria das discussões políticas, poucos realmente conhecem o que estão dizendo.
Política neste país, infelizmente está a venda, e leva quem tem maior poder de compra. Mas se é um povo que faz a nação, com certeza, temos a nação que merecemos.

Gostaria muitissimo de ver tanta gente unida, verdadeiramente, pelos problemas que as pessoas enfrentam diariamente e que com um pouco de bom senso, poderiam amenizar.

Neste convivio de corredores de hospitais, acaba acontecendo, como um pedido de socorro mudo, uma solidariedade e uma intimidade que talvez seja, no momento o que mais os ajuda, tão somente isto, e muito de vez em quando uma conversa com a psicóloga.
Este universo, na maioria feminino padecem para se ajustarem as novas realidades que lhe são impostas, porque estas mulheres são filhas, mães, avós. Mães dos filhos ali em recuperaçao ou a espera de um doador, no caso de transplantes, ou de um milagre em outros casos, mas tambem são mães dos que ficaram em cidades distantes, e são esposas e são filhas de mães muitas vezes já em idade avançada e que também precisam de cuidados. É uma roda viva e de vidas, é preciso ter muita estrutura para não se sucumbir nesta roda.

Percebi que no início há uma solidariedade da família, dos maridos, sogros... que, com o decorrer do tempo vão se distanciando, pois passado o primeiro impacto, entre vida e morte, tudo tende a cair na rotina, as pessoas voltam o que lhe é normal, e o acompanhante do doente continua vivendo um dia de cada vez, no corredor de um hospital.
Estas pessoas geralmente encontram forças pra seguir em frente, na maioria das vezes, da própria vontade de vencer a doença, de vencer os obstaculos do momento. De ver a pessoa amada curada, voltar pra casa e restabelecer o convívio com a família.
Porém, muitas quando voltam já não possuem mais esta família, tudo está desestruturado, as finanças, o amor, as amizades, o emprego e por ai vai.
Há os que recomeçam felizes porque apesar de tudo, podem fazê-lo ao lado do que venceu a doença, mas outros tem que recomeçar do nada, inclusive do vazio infinito da perda. Como bem disse minha amiga de Natal/RN.
Mediante tantas separações de casais, quando mais deveriam estar unidos, pergunto-me o quanto as emoções podem interferir ou estar conectadas entre a mente e o corpo, porque as substâncias químicas que travam a guerra em corpos e também entre a razão e a emoção dão vazão a erros incompreensíveis em situações tão efêmeras.
Escrevo aqui no feminino, porque elas são a maioria, mas existe o contrário, homens que ficaram e mulheres que abandonaram. Porém neste universo, a mulher, a mãe é predominante, ela não abandona a cria, ela perde tudo, mas continua ali, incansável até quando precisarem delas.
Quem não conhece, e se não conhecem, deveriam, saber das lutas diárias das Mães de UTI, por exemplo, mulheres que estão anos vivendo em um hospital. E muitas delas e de muitas outras, como mães de filhos com deficiência, abandonadas pelo marido, como se eles não fossem pais.
As separações entre casais são tão somente entre os casais,ou deveriam, mas na maioria, separam dos filhos tambem. Graças a Deus, que pelo menos nisto, este índice é bem menor nos ultimos 10 anos.
Por outro lado é muito gratificante saber que ja existem bons exemplos espalhados pelo Brasil, como o que li recentemente: um hospital em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, humanizou o seu espaço, com desenhos cobrindo as paredes e brinquedos estão por toda a parte, inclusive com aquário, trazendo tranqüilidade aos que ali vivem, pos esta é a palavra, ali vivem, mãe e filho.
É preciso que haja em todos os estados iniciativas de humanização, que ocupem mais o horário nobre em prol de algum assunto que realmente seja nobre, e que mais insituições abracem estas mulheres e abracem também estes homens, e os ensine que o respeito a Deus e a família, devem estar em primeiro lugar. Tudo o mais pode esperar.
Que mais psicólogos, terapeutas ocupacionais, e etc, sejam contratados e andem, como todos, nos corredores ouvindo estas pessoas, elas precisam disto! É fortalecendo estas mulheres que elas terão mais energia para passarem para seus filhos.
Não tenham dúvida, o que está acontecendo por detrás dos consultórios médicos, merece uma atenção toda especial por parte dos nossos governantes.
E que mais instituições como o Instituto Abrace http://www.institutoabrace.org.br/ sejam criados neste pais.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Espelho da Alma

Hoje conversando sobre tristezas que podem ter invadido a vida de alguém que amamos, recordei de várias passagens da minha vida, que me entristeceram muito, mas que também ao mesmo tempo, hoje, percebo que me fizeram crescer muito tambem. Me lembrei também de um romance que li no hospital no início deste ano, um livro que estava naquele quarto e que não era meu, e comecei a folhear, era um romance que se intitula "Imagem no Espelho" de Danielle Steel, e outros, e outros e quando vi, aqui estava eu escrevendo o que me passava na alma:

Na maioria das vezes olhamos no espelho, para olhar nossos rostos, cabelos, maquiagem e umas outras infinidades de detalhes. É a ilusão, a vaidade que nos leva, diariamente a nos observar.
A maioria das pessoas continuam fazendo, simplesmente assim, ate o final dos seus dias. Nada contra. A ilusão e a vaidade fazem parte de nossas vidas e em muitos momentos nos ajuda a seguir em frente.

Porém chega um momento que é preciso dosar, repensar, pois o próprio conceito de ilusão já diz muito: A ilusão é uma confusão dos sentidos que provoca uma distorção da percepção. Já a vaidade, se existe um equilibrio entre o orgulho e a soberba, é menos destrutiva, porque na maioria das vezes é simplesmente o desejo de atrair a admiração ou o desejo do outro.
E tudo isso caminha bem até um certo ponto da vida. Afinal, temos que saber envelhecer, e isto acontece exatamente do momento em que nascemos. Por isso é tão importante vivermos todas as fases da vida que nossa idade oferece.
A nossa vaidade acaba por nos impedir de demonstrar, de externar nossos sentimentos e algumas ilusões no sentido de mudança pode nos trair ferozmente. Quantas vezes vi pessoas mudando toda a decoração de uma casa, todo o guardaroupa ou em casos que considero mais grave, regimes drásticos, na expectativa que suas vidas mudarão automaticamente, que todos os problemas serão resolvidos. Só que tudo isto, sozinhos, nada resolve, e aí pode vir o isolamento, a ausência do humano, e a alma se esfria, a vaidade envelhece, as ilusões se entristecem e assim se sentem perdidos, sozinhos a espera de um milagre.
Só que este milagre não virá do outro, neste caso ele só virá de nós mesmos. Ele está dentro de cada um de nós. É chegada a hora de olhar no espelho sim, só que no da nossa alma, de enxergar além da imagem que se vê, muitas vezes distorcida, é tentar ver o que o reflexo que sua vida causa em voce e no outro.
E se por um acaso nesta hora vc ainda ver uma ruguinha em seus olhos, use-a para compreender e amar.
Afinal o começo delas, e algumas protuberâncias a mais ou a menos, não fazem a menor diferença, isto significa apenas que voce tem vivido, que está viva e que teve saúde pra chegar ate este momento. E que a qualquer momento da sua vida, jovens ou velhos, você tem direito a escolhas e a recomeçar se for preciso. O recomeço pra ninguem é fácil, mas tudo começa com um simples passo, o seu, ninguém o dará por você. Pegue as rédeas de sua vida e segure firme. Creia em você e no altíssimo, e tudo será possível.


Hoje ouvi uma musica evangelica muito bonita, ela se chama Vaidade, a cantora é Heloisa, tem um pedacinho que diz assim:

O que eu preciso, os homens não podem dar
O que eu preciso, a prata não vai comprar
O que eu preciso, o mundo não pode dar
O que eu preciso, é habitar contigo, ó Deus!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Reencontro

A medida que o tempo passa, quando se está longe de casa, mais aperta a angustia e a vontade de rever as pessoas que amamos.
Hoje conversei via video com meus irmaos, minha mae e uma afilhada. E a medida que os via ia passando um filme na minha cabeça, suas vidas, seus medos, o mundo de cada um. E por mais que eu quizesse simplesmente deliciar com aquele momento, não conseguia somente vive-lo, queria tocá-los; e a lembrança de festas, as conversas jogadas fora, as risadas, ecoavam em minha cabeça como um sino que tilintava incessantemente, mas ao mesmo tempo tudo era leve como o orvalho do céu. Uma benção.
Quando desligamos, subitamente voltamos a realidade.
Mesmo que o nosso agora, também seja uma benção do céu, a ausência das pessoas amadas nos deixa frágeis, nos torna carentes, e tudo é pouco. Já não basta conversar, precisa tocar, precisa sentir.
Porem ja vivi esta experiência antes, e quando estamos sozinhos, inconscientemente vamos voltando pra dentro de nós mesmos, numa busca insensata do que nao se perdeu, porém achamos por vias aparentemente tortas, coisas novas dentro da gente, por exemplo a capacidade de reinventar, de redescobrir.
A primeira vez que experimentei tais sentimentos vi que a distância dos que amamos doi, machuca e foi, como hoje, igualmente insuportável.
Depois de algum tempo a saudade não flui no espaço, mas ela acalma e nesta mesma medida o coração e a mente voltam a pulsar compassadamente. Vc adquire novos hábitos, conhece novas pessoas e assim forma-se novos círculos de amizade e conhecimento. E vemos pouco a pouco a vida seguir o teu curso.
Nada parou, nada ficou estagnado, apesar de todas as dores.
Até que, ao revê-los, vc sente que o sangue explode em suas veias jorrando pelos seus poros, e o que estava adormecido, finalmente naquele abraço, se revela.

domingo, 10 de outubro de 2010

Momentos bucólicos

En alguns momentos de nossas vidas, a razão, a constatação manda que vc cante, louve e acima de tudo, agradeça muito! Tenho feito isso sim. Porém inevitavelmente nos pegamos a olhar o infinito numa melancolia sem fim. Isto acontece quando a tristeza invade a alma e por mais que a razão te arraste de volta ao que importa realmente, alguma coisa flui na direção oposta. E esta briga entre razão e emoção te desgasta de tal forma que se vc não tem um Deus presente a sua vida, onde suas portas estejam sempre abertas pra ELE, mesmo estando neste infinito perigoso, ou uma família que te embale, tudo fica obscuro e cinzento.
Porém como lutar contra este emaranhado de sentimentos quando vc se encontra num momento delicado, onde vc tem que manter uma atenção continuada em tudo que faz, mas sua alma (será a alma?) quer deslizar por ai, sem pensar, sem hora marcada. Hoje quando li o artigo da Irma Selma "A primavera toda numa flor" (http://rogeriorufino.blogspot.com/) ele me tocou muito e não soube o que escrever, porque de verdade, gostaria de deslizar numa caixa de papelao, gostaria muito, mas acho que a criança em mim ficou em um tempo que ja não me lembro mais. Chorei muito neste momento, porque esta criança tem que existir, mas acho que algumas pessoas nascem pra fazer o que tiver que fazer, não que as pessoas que sabem sonhar não façam, fazem e muito, talvez muito mais que outros, mas por algum motivo em determinado momento da vida isto se perdeu.
Fiz uma viagem pra dentro de mim mesma e percebi que eu permiti isto e em outras circunstancias não tive alternativa, a não ser, ser adulta em tempo integral. Percebi ainda que nossa vida depois de muitos anos vai se tornando um circulo vicioso, pois quando nascem os filhos, a gente deixa de existir um pouco e passa a viver mais em função deles do que pra nós mesmos. Mas me pergunto, se tivesse feito diferente, será que hj teria filhas centradas, encaminhadas e preparadas para o minimo da vida? Não sei. Onde seria o ponto de equilibrio desta missão? E nossos maridos, os homens de hoje ja estão preparados para o auxilio na jornada da mulher?
De qualquer forma, esta jornada sempre será maior, pois a mulher ve o corpo mudar, passa por varias dadivas de Deus só a elas concedidas, porém nem sempre compreendidas por todos.
Este é um assunto comum, aparentemente, porém sem solução, porque a vida tem que continuar. E haverá sempre quem saiba celebrar, porém para mim a celebração só acontece quando ha um conjunto em harmonia. Neste momento sinto que grito, mas não há eco, não ha socorro. Tudo isto é estúpido demais, seria inconfessável anos atras, hoje ja não me importo. Não sei se estou só nesse emaranhado de sensações ou se existem mais mulheres que por algum momento se sentem assim, de qualquer forma, escrevendo, sinto que meu grito é maior e talvez ao esvaziar os pulmões também consiga encontrar a paz, a harmonia e até aquela caixa de papelão para que eu deslize por ai.

sábado, 25 de setembro de 2010

Relacionamentos Humanos

Homens e mulheres nasceram para um dia tornarem-se um, ou pelo menos para tentar achar essa outra metade.
Ambos passam quase que pelos mesmos processos de aprendizados, vivências, para alguns, ainda diferentes.
E as projeções que se faz do outro começam cedo. Desde a escola, tendemos a parecer mais descolado ou não, dependendo da situação, para inserir em determinados grupos, ou para chamar a atenção de alguém específico.
No trabalho, as projeções continuam, nem sempre podemos ser o que somos para que obtenhamos um bom desempenho e assim continuamos nossa vida. Chegamos ao casamento já tão habituados que nem percebemos que com a convivência diária, nem sempre será possível ser, e muitas pessoas só se conhecem realmente diante da convivência, digamos forçada de duas pessoas.
Nesta hora descobrimos que se o que sentimos e vivemos terá base suficiente para se reconhecerem, para se respeitarem e continuarem amando.
Com o passar do tempo muitos outros fatores tambem podem pesar ou deixar leve como pena qualquer relacionamento: amizade, companheirismo, respeito, sexo, interesses comuns e por ai vai... Descrever seria impossível, somos complexos demais...
E existe outro fator importante, controverso e infelizmente imbuido de preconceitos, machismo e culpam até a história da humanidade... É a chamada traição.
Quando isso acontece, uma unica vez é o suficiente, muitos se enganam e erram em esperar e dar uma segunda chance. Neste caso, ela não existe. Porque se houve a primeira já não existia respeito, confiança, é uma imagem quebrada, só numa outra imagem vc poderia ter a chance de se olhar de novo, sem ranhuras. Não ha como restabelecer uma situação diante de marcas.
E restabelecer a confiança num amigo, num companheiro, não pode ser desprezado, afinal nem todas as pessoas são iguais. Neste mundo de Deus, ainda há de ter pessoas que se respeitam e se amam.
A frase seguinte não é minha e talvez não seja muito cristã, mas a verdade neste caso, é que por mais que se queira perdoar é quase impossível, pois esta relação terá a desconfiança como companheira, portanto perdoar neste caso, de verdade seria tentar livrar das dores, pois conviver com elas, não seria saudável, trariam ainda mais cicatrizes. Porém muitos já disseram que a nossa metade está dentro de nós mesmos.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Perdas

Nossa vida, desde a infância, somos tentados a ter o nosso. Quantas vezes ouvimos uma criança dizer: - este é meu! ... não dou! e outras que não se importam de repartir... E assim vamos crescendo, com os pais, escolas nos moldando a ser bons cidadãos. Só que esta é uma arte das mais difíceis de fazer acontecer num sentido mais amplo. Pois a medida que crescemos também conhecemos a lei da sobrevivência. Todos nós sabemos da importância da família, da escola, dos amigos, do meio e etc, na formação do ser humano, porém todos estes grupos e sub-grupos aí inclusos também devem estar imbuidos de defeitos e qualidades que depois o próprio "homem" já formado deve filtrar e adequar-se a sua realidade. Mas neste tempo também há de se lembrar que é hora de perder ou equalizar alguns conceitos adquiridos até este momento.
A raiva incontida, essa ira que muitas vezes vem porque feriram nosso orgulho, ou até mesmo para que não descubram nossos defeitos ou erros, atacamos, ou nunca ouviram falar que é a melhor defesa é o ataque? Quantas vezes presenciamos ou fomos o artista principal em momentos raivosos que facilmente poderia ter outro desfecho, se tivessemos respirado fundo, tomado um copo de agua ou simplesmente ter calado... Calar nem sempre é submissão, mas sabedoria. Tudo tem o momento certo. A Ira, inveja e orgulho, chamados por muitos de pecados, tem que ser filtrados pelo homem de bem, tem que ser repensado, porém aqui me pergunto se nós pais não poderíamos com mais vigor ter ajudado e muito nesta formação.
Veja bem, se um filho grita com os pais o que ele recebe... me respeita, voce nao tem este direito, cala a boca, eu te sustento e por ai vai.... mas se neste momento do exemplo, calássemos, e depois da ira passada, sentássemos para conversar o ocorrido, talvez com esta atitude estaríamos ajudando esta criança ou adolescente a ser um bom administrador um bom marido, esposa etc.... A frase gentileza gera gentileza me veio a memória agora...
O orgulho e avareza, que tristeza são estas duas palavrinhas, a primeira faz inflar uma situação, muitas vezes criadas por nós mesmos, que muitas vezes não corresponde a realidade. É muito comum ver isto em descendentes de "grandes brasões" ou nos novos ricos, o que demonstra uma falta de conhecimento histórico gritante. Tudo tem e passa por sua época, podemos observar que as grandes fortunas brasileiras, hoje estão no varejo e nos bens de consumo, mas não quero entrar neste mérito ... O quero dizer que nunca o nosso futuro esteve tanto somente em nossas mãos, não há nos dias de hoje lugar para glorias passadas mas é tempo de realizações. Não existe o preto, o branco, o rico ou o pobre; enquanto não nos desfazermos do lado ruim do orgulho que é pensar que somos melhores, que podemos passar por cima das pessoas, que temos de fazer o outro crer que podemos, quando nada se pode, enquanto carregarmos a caricatura do que não somos por puro orgulho, estaremos simplesmente perdendo o mais precioso dos tempos para melhorar, para criar, fazer, produzir. E se produzimos e se preparamos para tal fim, conseguimos.
Nesta momento também, é muito perigoso dizer, quero mais, mais e mais... é bom querer sempre progredir, se o fizermos em todos os sentidos, cultural, material e principalmente sem esquecer de nossas raízes, não de raízes passadas, mas das nossas próprias, as que nos deram sustentabilidade para de pé ficarmos. Assim como é perigoso também flertar com a avareza, esta pode chegar devagarinho sem que se perceba, talvez porque o inconsciente tenha receio da perda, tenha receio de não mais poder fazer parte deste ou daquele grupo, medo de voltar a ser o que foi, ou ainda por nao ter atingido a um objetivo e achar que assim alcançará. A avareza não existe somente financeiramente não, ela está presente também na sonegação de informações importantes ao amigo, nas empresas... talvez um pequeno gesto, um pequeno conselho da sua vivência ajudaria ao outro constrangimentos maiores. Mas não, ele quer tudo pra si, é o medo da perda, o que não justifica, muito pelo contrário, perde-se ali o mais belo momento da vida, o de dar as mãos, o momento do apoio, o momento da solidariedade.
No entanto se deixarmos a preguiça de lado, a luxúria, se formos mais éticos, mais responsáveis, sem dúvida alguma o caminho que temos que trilhar ficara mais suave, com direções mais definidas.
Uma das coisas piores que acho, sinceramente, é a preguiça, porque ela nos torna negligentes, para com os outros e para com a gente mesmo. Ela nos impede de agir, de sentir de descobrir novas possibilidades. E com o tempo, até de sonhar, pois o preguiçoso geralmente acha que não precisa aprender mais nada, que reciclar e bobagem, que atualizar é para os jovens e por aí vai, então os sonhos obviamente não se realizaram, não houve uma batalha para que eles acontecessem. Os sonhos para que não nos machuque tem que ser conforme nossas possibilidades, porém, os que não se enquadrarem nesta realidade, faça com que eles sejam uma meta, e trabalhe pra chegar la. Porém, se não chegar, batalhamos, tentamos pelo menos.E tentar é fundamental em nossas vidas.
Viver é uma saga, sim, uma saga, onde se mistura o real e o imaginário, o viável e o inviável, ou seja, é uma saga de contradições, porém quando tudo isso leva ao esclarecimento e ao aprendizado ou ainda contradizendo...se nada disto for feito, ainda viver terá valido a pena, pois indiscutivelmente aprendeu-se alguma coisa.
Vivo incessantemente querendo aprender e nada sei, e tenho plena consciência que tenho todos estes pecados mas com convicção tento a cada dia me tornar melhor. Esta é uma das minhas lutas.
Dentre tantas lutas a que tenho mais dificuldades para aceitar é a perda humana. Esta me retém ao chão, estagnada, me obriga a rever conceitos, me faz olhar diretamente para Deus, e graças a Ele não é por cobranças, mas pedindo entendimento, pedindo que me dê forças para superar e para ter sempre minhas mãos estendidas aos céus em agradecimento.
No momento tenho visto maridos perderem esposas, mãe perder filhos e filhos perderem um dos pais e apesar de não conhece-los, isto me toca profundamente. Nos ultimos anos tenho evitado ir a velórios, principalmente de pessoas que amei e amo muito. Nos ultimos 8 anos perdi 3 tios, duas tias...E então a gente reve a vida, é indubitável, não cabe revisão ou crítica. Apesar dos velórios significarem despedidas, respeito, infelizmente, dado a "correria" em que transformou o mundo, é na maioria das vezes encontros de muitos que há muito não se via.
Precisamos nos ver mais, nos amar mais, nos respeitar mais e desacelerar e dar importância as coisas que realmente valham a pena, isto enquanto estamos vivos.
O luto tenho certeza é doloroso, porém como muitas outras coisas na vida, só se sabe a dimensão, após vivê-lo.
Conheço duas pessoas que depois de perder os filhos, deixaram de acreditar em Deus e a elas não cabe críticas, cabe respeito e muitas orações, porque Jesus está ali, bem na portinha, e qualquer momento, se deixarem, Ele vai entrar, e aí que esses corações chorem na fé, na esperança, e no agradecimento da oportunidade que tiveram.
Então meus amigos, será muito fácil deixar ir os pecados chamados capitais, pois deixando ir o lado ruim destes, você só tem a crescer e estará mais perto de Deus, com toda certeza.
E às perdas humanas, só nos resta esperar e descansar em Deus.

Para voce Daniel, que não conheci, mas que aprendi a admirar. E a voce Val, o conforto e o abraço de Deus.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O Dia a Dia Após um Transplante de Medula (Talvez seja útil para alguma mãe ...)

Com amor, dedicação e doação, tudo fica fácil.

Quando se chega a um transplante, pouco ou quase nada é igual a que se imaginou. Por isso não sofra por antecipação, na medida do possível, simplesmente faça uma entrega com amor e aceite cada dia como uma benção. Isto não quer dizer que não vá sofrer, que não vá chorar, que não vá cansar... vai... e também vai sorrir, vai cantar... afinal somos humanos e somos passíveis de todos os sentimentos.

Por isso a conscientização de entrega com amor seja tão importante.

O meu primeiro impacto com um real sofrimento, uma dor na alma, foi deixar minha filha no hospital e voltar pra casa. Foi muito difícil de digerir, de aceitar, de dormir... Na manha seguinte ela receberia o implante de cateter, que é de suma importância para criação de uma via de acesso permanente, para introdução de medicamentos ou retirada de sangue para exames. E ainda submeteria também a uma biopsia de medula, procedimento também muito importante. Este cateter se não ocorrer nenhum incidente, só é retirado no final dos cem dias do transplante.

Passada a primeira noite eu só tinha uma coisa a fazer, tomar um bom banho e tocar a vida, não era hora de desanimo, mas de fé, de esperança.

E assim fiz e refiz quando foi preciso, todos os dias em que ela esteve internada. Ela internou-se no dia 29 de junho de 2010 e até o dia 06 de Julho ela se submeteu ao condicionamento (quimioterapia) para receber a nova medula.

Minha rotina consistia em levantar arrumar a kitinete, e todas as outras coisas normais a uma dona de casa. Almoçava, fazia o que tinha que fazer e aguardava 14h00 ansiosamente para visitá-la.

Durante aproximadamente 30 dias o transplantado de Medula Óssea, fica em ala parcialmente isolada, com ar filtrado, e todas as pessoas que entrarem nos quartos devem estar usando máscara, e com higienização correta de mãos, dada a baixa imunidade em decorrência do condicionamento a que foi ou está sendo submetido.

Portanto nestes dias, o melhor horário pra mim, o maior alivio e a maior felicidade era das 14h00 as 18h00 (na verdade teria que ser ate as 17h00) mas mãe sempre da um jeitinho...

Aí veio tudo que nunca teria imaginado. Dois dias antes do dia tão esperado, o recebimento da medula, onde preparava para tirar fotos e etc, fiquei gripada e não pude assistir. Mas Deus é PERFEITO, exatamente quando fiquei gripada, meu marido chegou e nossa filha não ficou sem visita nem uma única vez. E no recebimento da medula, ele estava lá presente. Vale a pena ler seu depoimento sobre este dia (Torrente de Emoções).

Fiquei 5 dias sem vê-la, foi muito difícil. E com uma força que sem dúvida nenhuma, veio de Deus, foi calmo e eu pude ir a igreja perto de onde estamos morando Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, e tive horas gratificantes.

Voltei quando pude às visitas e era delicioso poder passar o creme em seu corpo, massagear seus pés e vê-la sorrir.

O transplantado precisa muito desta hidratação, o cuidado com a pele é muito, muito importante.

No dia 27 de julho ela teve alta. Minha felicidade era imensa, mas naquele dia quando me lembrei de tudo que tinha lido na apostila de cuidados que se deve ter com o paciente, da conversa com as nutricionista e etc., etc, senti muito medo, um peso enorme, uma responsabilidade jamais sentida... fiquei apavorada, nervosa.... e mais uma vez Deus me socorreu, pegou na minha mão, meu marido me ajudando em tudo que podia... acalmei um pouquinho, mas quando vi aquele sorriso enorme, aquela moça deixando o hospital de botas e tirando fotos com a equipe de enfermagem, não tive dúvidas, não teria que ter medo, teria só que fazer direito, e era o que iria tentar fazer.

Muito se pode acontecer num pós-transplante, mas não é neste “pode” que se deve concentrar, é na vida, é no que se tem que fazer todos os dias. Pois cada dia é um dia novo, e o sol nasce nos lembrando que é um recomeço, ele nasceu ontem ... e nasce a milhares de anos, e assim será por mais milhares...e é exatamente assim que tentei e tento fazer, recomeçar todos os dias.

Para cada acontecimento uma atitude, diferente ou igual, não importa, o importante é saber, sentir que pra tudo nesta vida o tempo é essencial e que tudo vem no seu devido tempo. Pode ser que não seja no tempo que queremos, mas no tempo que ter que ser. Acredite nisto! É muito tempo quando se tem que repetir na escrita, mas é pouco tempo pra quem sabe esperar!

Hoje, 06 de setembro de 2010, minha rotina é fácil, e ela consiste em:

Levantar as 07h15, fazer café, ferver o leite, colocar o pão no forno, levar na cama pra minha filha, já com os remédios que tem que tomar, arrumar a frasqueira com os outros remédios que se toma na parte da manhã, com suco, achocolatado, biscoito ou bolacha...uma verdadeira lancheira, apesar de ser uma nécessaire A levo no hospital, volto pra casa.

Já em casa, passo o rodo em toda ela ( o rodo além de retirar muito mais que uma vassoura, não levanta o pó), passo um pano úmido (2 colheres de vinagre/litro de água) em todo os blackout (em casa de transplantado não pode ter cortinas e nem plantas), retiro todo o pó de moveis, arrumo as camas, e passo pano em toda a casa. Tudo feito com esta solução do vinagre. Isto me faz lembrar outras considerações importantes como:

A cama deve ser trocada a cada três dias e toalhas todos os dias. Todos os talheres e louças devem ser passados em água fervente e guardados em local apropriado com tampa. As roupas tem que ser passadas do lado do avesso e direito, inclusive as meias e peças intimas. E roupas devem lavadas separadamente dos demais da casa. A água deve ser mineral e fervida. Toda fruta e verdura deve ser bem lavado e colocado numa bacia (1 colher de sopa de água sanitária/litro de água)com prato por cima para que tudo fique imerso na água por 15 minutos, após este tempo lava-se de novo em água corrente para só depois cozinhá-los. E o cuidado maior é não misturar a colher do que mexeu o “cru” com o “cozido”. Tem-se que evitar no máximo que puder qualquer tipo de contaminação.

(Obviamente isto ocorre com os pertences e utensílios do transplantado)

Depois da casa limpa, é hora do banheiro, aqui é água com água sanitária e sabão, lavagem geral. Por falar em sabão, a casa no mínimo duas vezes por semana é lavada também com sabão, só depois passo o pano com a solução de vinagre.

Particularmente, nós aqui em casa, optamos por não usar toalhas de tecido para as mãos, usamos somente de papel, porque descarta-se e há um menor risco de contaminação.

Banheiro limpo, é hora de higienização completa das mãos e unhas (que deve ser curtíssimas), feito com sabão próprio e escovinha. E pelo menos eu, no final ainda esfrego (não é simplesmente passar) álcool hospitalar (70%).

Vou para a cozinha e faço o que tem que fazer. A cozinha demanda um tempo longo para se cozinhar, os cuidados são muitos e a desinfecção como já descrita também. E acima de tudo a ATENÇAO, o FOCO são fundamentais, pois de nada adianta todos os cuidados, se a faca que corta o alimento, o escorredor do macarrão, o espremedor das batatas, a tabua da carne e assim por diante também não estiverem esterilizados.

Depois disto e/ou muitas vezes no meio disto, vou buscá-la no hospital, almoçamos e por preferência dela, é também hora da fruta, que a esta altura também deve estar pronta para o consumo.

O paciente de TMO por aproximadamente 100 dias vai ao hospital todos os dias tomar medicamentos ou até mesmo somente para a heparinização do cateter.

Vale lembrar que o paciente de transplante de medula óssea (TMO) perde durante a quimioterapia todas as vacinas, todas as defesas e isto demanda um tempo para recuperá-los. É um neném que nasceu, não teve o leite materno e só depois de algum tempo poderá receber novas vacinas. Por isso o contato com crianças e animais não é permitido até que isto ocorra.

Mas parece, que o grande inimigo do transplantado é mesmo o sol, o bolor de frutas e alimentos em geral e casas com mofo; isto aliado a todo o cuidado com a higienização começando nas mãos de quem faz até nas mãos do próprio transplantado. Vale também lembrar aqui que não existe meia fruta estragada, isto não existe, ou é uma fruta sadia ou não é; se está “só meia” como dizem é simplesmente porque a bactéria ou outro “bichinho” qualquer não deu conta de tudo, mas não tenha dúvida ele já está lá e por toda a fruta!

Bem, a tarde enquanto minha filha descansa, e isto também é primordial no restabelecimento total, faço todas as coisas que são pertinentes como já relacionado, e acredite sobra até tempo pro computador.

Às 16h00 é hora do café. Às 19h30, jantar e lá pelas 22h00, ninguém merece, não é hora pra mais nada, só dormir... Se o marido estiver por perto, não o esqueça, se possível, porque pelo menos o meu, ajuda em todos os processos, já tive até um dia de descanso, onde ele fez tudo!

Pessoal, não importa o que faça, bom humor, mal humor, muito serviço, pouco serviço, todos nós somos todas as etapas em algum momento, mas de nada vale a vida sem o AMOR A DEUS e o amparo da família.

Se tenho condições de estar aqui com cabeça para todos os horários, é porque tenho na minha cidade uma família que, cada um do seu jeito, me ampara de alguma forma. Não só família mas outros que também se interagiram de tal forma que já é família. E aqui aproveito para agradecer MUITO em especial, a minha irmã Maria de Fátima . Porém todos, sei que estão lá, em suas casas e num estalar de dedos me ajudariam, e isto também conforta muito um ser humano.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

A Irmã Selma

Para este ser humano espetacular, para esta religiosa que com o seu jeito de ser, tenho certeza colabora para que mais ovelhas venham a casa do Senhor.
O seu humor, a sua amizade é algo que transcende nossa espiritualidade, ela chega até nós de mansinho, como brisa do mar em dia calmo, refrigera a alma e da luz a nossos caminhos.
No Salmo 23, onde dele fizeram uma música que gosto de cantar...Bondade, Misericórdia... todos os dias me seguirão... Assim também é nossa freira, aceitando nossas imperfeições, nossos tropeços porque sua vida é contínua em bondade e na misericórdia de Deus.
Você nos faz um bem enorme, é como se desde sempre, fizesse parte da família. E faz, a família em Deus, não tem sobrenomes, não tem poder aquisitivo, não tem cor, ela é única e verdadeira. Na família de Deus quando um cai há sempre uma mão estendida para que você levante, ela é maior que a de sangue, onde tantos interesses, como vemos na mídia todos os dias, está em jogo; a família em Deus é bondosa pois ela nos supre, nos alivia e nos suaviza, e ainda restaura e renova as energias.
Madre Maria Tereza de Jesus Eucarístico, não só fundou a Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, como semeou esperança, amor .........já se passaram mais de 70 anos e aqui está uma sementinha deste amor distribuindo não só no trabalho ou nos que a cercam mas também via internet. São novos tempos, onde percebemos, constatamos o quão fácil é distribuir o amor.
Esta sua doação não só nos encheu de orgulho como nos mostra uma nova igreja, não no sentido intrínseco da palavra, é que no meu coração, sempre quis que religiosos e fiéis pudessem estar mais próximos, mais amigos. Você é a prova viva disto para mim. Reconheço o dever do respeito que merece, mas sinto que cheguei ate você. Obrigada por tudo.
Domingo foi o dia do religioso e estendi minhas orações a você, e agradeci por você nas nossas vidas. Assim como por outras pessoas que também sei, trabalham com o objetivo de auxiliar vidas, como o Prof. José Carlos, Aloisio e Botu. Agradeci também pelo “Tio Manoel”. E ainda pelo Padre da Paróquia São Pedro em Uberlândia, e por todos os religiosos que trazem a vida de Cristo até nós.
Te amo Irmã Selma.

P.S. Agora pelo meu peão favorito Irmã, tenho que agradecer em dobro, ele te ama tanto, que acho que acabarás por rebanhar mais um católico para a igreja.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Ser mãe

Não darei nenhum conceito, ao título, porque acho que nenhum diria tudo ou não diria o suficiente.
Quando formamos uma família pensamos logo nos filhos que virão, e se ja vieram então, fica um pouquinho mais complicado, uma complicação criada por nós mesmos, ou uma benção antecipada, fico com a segunda opção.
O desafio está na educação, que todas as mães pensam estar acertando. A medida que os filhos vão crescendo estes desafios vão crescendo também, porque não mais podemos pegar na mãozinha para atravessar uma rua, não podemos ouvir música sertaneja na porta da escola... e começamos a ouvir os nãos que antes só a nós pertenciam.
E nesta estrada já percorrida foi criando uma imagem de mãe que e difícil de apagar.
Até este período voce foi para eles uma chata, teve que ensinar a comer, a lavar as mãos, a escovar os dentes, a sentar............e não preciso descrever o restante; todas as mães do mundo conhecem, e até mesmo os filhos um dia reconhecerão.
Mas algumas coisas ficam e não tem conserto. Eu particularmente fui enérgica demais, não deixava posar na casa de coleguinhas, de ficar na rua, andar de bicicleta só no quarteirão, tinha que ter boas notas, tinha que ler um livro e muitas outras chatices, agora cortar algumas amizades pela raiz ou brigar feio para não namorar uns e outros, ha!!!!!!!!! isto não tem perdão.
Não nos perdoa por um grito, por uma falta de educação......mas nós perdoamos a vida toda.......
Temperamento forte que é minha praia como dizem por ai; talvez este defeito tenha me ajudado muito em toda a minha vida, acho mesmo que como todas as coisas, esta também foi uma obra de Deus em minha vida. Pois apesar de todas as coisas ficarem fáceis para mim, percorrer o caminho não foi. Assim como não é para milhares de pessoas.
E o fato de ter que ir a luta tão jovem, me fez um bem enorme por um lado mas por outro me tornou sem a dádiva de saber esperar...peço...não faz, faço eu, este eu sei é o meu maior defeito, com o tempo tenho tentado modificar, melhorar.......hum!!!!!! mas a escala sobe tão devagar...
Na vida, por um tempo, eu não tinha o direito de esquentar a cabecinha de minha mãe, então tinha que fazer, depois chegaram vários cavalheiros, que são os meus idolatrados cunhados........
Hoje não posso me debandar para outras praias, meu tempo ta curto.
Porém, quero dizer a minhas filhas, que sejam pacientes, saibam esperar, observem, tirem o que for bom, e descarte o que não lhes foram úteis.
Digo ainda, que sempre que tomo ou tomei uma atitude foi tentando, ou achando que estava evitando alguma coisa, porque eu, como qualquer mãe sofreria por vocês. Mãe tem mania de achar que é Deus, chegamos ao ponto de pecar...temos a mania de querer prever o futuro.
Mas todos os filhos há de convir com esta espécie quase em extinção, que quando somos responsáveis, temos que pelo menos tentar criar bem, educar bem........pois mesmo tentando fazer tudo...ainda não somos culpados de tantas coisas?
Espécie em extinção, porque não se pode bater, não pode ter uma carteira assinada (trabalho) antes dos 16 e outras cositas a mais.............
Espancar merece cadeia, mas palmada no bumbum na hora certa, faz parte da educação, não quer estudar...vá trabalhar.... um tapinha na mão pode salvar um dedo na tomada..........Vish! Isto sim daria um boa discussão.
E só por isso o mundo é maravilhoso, somos livres e podemos agir da forma que quisermos.
Já estava fugindo de novo do objetivo deste.
Karen, Kelly e Marina........desculpe por todos os erros que possa ter cometido, não precisam agradecer os acertos, estes foram minha obrigação.
Tento entender voces sim, tento ajudar voces sim, só que, dentro das minhas limitações.
As atenções serão sempre direcionadas aos que mais tiverem precisando, mas saibam se precisar estar em dois lugares ao mesmo tempo, estarei. Parece utópico, impossível neh! Mas estarei, num estalar de dedos. Jamais, em tempo algum, enquanto Deus me conceder o DOM DA VIDA estarei vivendo por voces. Mesmo que eu diga que vou para a La praia porque vcs estão criadas e bla bla bla.......não é verdade...não baterei muitas campainhas não, mas basta um MÃEEEEEEEEEEE e estarei ai, bem na portinha...
Um dia li no Seleções Reader´s Digest uma estória que nunca esqueci... no final a mãe dizia a seguinte frase:....e se quiser me entender melhor minha filha, é simples, olhe para mim, na minha direção e me aceite como sou, assim como tenho feito, desde o seu nascimento, com voce.
Ela é exatamente nós, as mães... na primeira frase....estava indo tudo bem...mas logo vem a condicional.... a cobrança.......isto, isto isto.....é ser mãe. Releve-nos, nós amamos vocês!

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Felicidade

Seria felicidade somente um estado de espírito? Ou tudo que está em volta interfere neste sentimento? Ultimamente estou crendo que nem uma coisa nem outra, mas sim a forma pela qual a gente olha para a vida.
Sinceramente um livro de auto ajuda em nada me ajudaria, uma frase bonita ou de impacto, também não, o primeiro tenta fazer em mim uma lavagem cerebral, uma frase bonita pode ser colocada de forma errada, no momento errado, com interpretações mil, as de impacto geralmente são conhecidas demais para elevar meu senso de humor, que diga-se de passagem não é tão grande, apesar de ter ouvido “n” vezes frases como ... Senso de humor e descontração são qualidades atraentes para ...etc etc etc, pois bem, se tenho no máximo 10% de cada “qualidade”, porque hoje me sinto tão feliz?
Estou pensando e meditando desde que levantei e penso que a aceitação de sua vida exatamente como ela é, pode ser a resposta. Vejam bem, do que adianta pensar no “SE”, se neste momento a situação imaginária não é a real.
Deus é perfeito, por isso as crianças conversam com as bonecas, fazem os sons dos carrinhos, bebem água imaginando um chá com as amigas, o adolescente quer descobrir quem é, e geralmente faz tantas bobagens...bobagens? para os adultos, para eles, estão absolutamente certos, vá dizer a criança que aquela água não é chá...no fundo ela sabe que não é, mas ela quer que seja, e nesta época pode ser.
Talvez o nosso grande engano é pensar que o adulto não pode mais nem ser criança, nem adolescente, e quem disse isso? Podemos ser sim, as diferenças estão nas ações, em como encará-las. O adulto sabe que se não tem o dinheiro para comprar um carro de 70.000, ele não vai tê-lo, sabe que se ele não trabalhar ele não terá salário, a vida que leva um adulto há de ter compatibilidade com a realidade que o cerca, e assim será mesmo se analisado por todos os prismas, por qualquer parâmetro, ele tem idéia do que o cerca, do que é pecado, tem idéia do que é errado; ele sabe exatamente quais são as diferenças, e nossas posturas tem que ser condizentes com o período com o qual vivemos.
Assim também é a mentira, quando ela começa? Quando chega o senso crítico, quando começamos a suspeitar em algum estágio de nossas vidas, que o que nos foi ensinado, o que vimos e ouvimos pela mídia, as coisas que tentaram e conseguiram nos impor, seja pela família, pela escola, pelo governo, religião, seja como for, alguns no devido tempo, para outros cedo demais e ainda outros tarde demais, são aqueles que “preferem” assim viver..., percebemos a incongruência entre o que somos e o que nos foi imposto.
Todos nós percebemos um dia que, o que as pessoas vivem , o que experimentam diariamente, e o que acabamos por representar, é muito forte em nossas vidas, e ao acomodarmos acabamos por viver uma mentira eterna, não uma mentira qualquer, mas a mentira de nossas próprias vidas, e se não acordamos, se não tivermos coragem para mudar este modelo pré-estabelecido e que não muito raro, conscientemente, damos continuidade porque assim era melhor, talvez não para nós, mas para como o amigo ou a família nos vê.
De qualquer forma, sobreviveremos a todas estas associações, além das já citadas, muitas outras de igual enfermidade para a humanidade, como racismo e tantos outros tipos de preconceitos.
Por outro lado, se não passássemos por todas estas etapas, também não entenderíamos a organização da experiência e das ações humanas, não teríamos condições de entender nenhum valor e seus significados. Portanto, que venham os mitos populares, as tradições familiares e que cada um viva o seu mundo possível de felicidade e realidade. Exigir do ser humano um raciocínio correto seria algo fora de questão, pois correríamos o risco de afetar a individualidade, a liberdade de ir e vir, a liberdade de expressão, seja verbal ou corporal, pois cada um de nós é um ser único,e que como todos, devem ser respeitados, pois se o futuro ainda é incerto no que se pode vislumbrar, por exemplo, para um pai que não vê esperança para o filho, em qualquer dimensão, isto pode gerar um desalento, uma indiferença, que talvez outros pais não entenderiam se não vivesse o mesmo destino. Portanto assim é a vida.
Acho eu, realmente, pelo menos hoje, porque me reservo o direito sempre, de mudar de opinião, de errar, acertar, chorar a qualquer tempo e lugar, que felicidade é simples, basta estar bem com a sua verdade, com aquela que nos cerca, e entender que dizer e ouvir não ou sim, é uma questão de tempo, de lugar, de momento...são simplesmente palavras que na maioria das vezes devem ser respeitadas, entendidas, porque amanha é sempre um novo dia, e o não, pode se tornar um sim, ou vice-versa!
Quando cheguei a Curitiba, não tinha idéia do que ia acontecer, tinha um punhado de “idéias”, errôneas diga-se de passagem. Ouvia frases de outras mães, que era matar um leão por dia, outras que estavam terminantemente brigadas com Deus, e outras agradecidas...
A audição é bendita, é fabulosa, é santa, mas para o nosso próprio bem, há se de colocar um filtro. Para TUDO nesta vida, os pés não devem sair do chão, a fé e a esperança, devem estar fincados em seu coração. Descubra a forma de deixar estas duas palavrinhas sempre plantadas, regue-as todos os dias, e em certas situações viva um dia de cada vez, pra dizer a verdade, vivam todas as situações assim, é melhor. Não matei nenhum leão, foi calmo, sustos e medos passam, acalmam e fortalecem.
Passado o primeiro impacto, veio a alta hospitalar, são apostilas, nutricionistas, médicos, higienização.....uau!!, não tem como dar conta, chora escondido, conversa com Deus........Tudo é uma questão de tempo, de foco... por isso digo a mim mesma, 24 horas, foco Edith, foco! E aí estabelece uma rotina e tudo fica fácil, calmo...........
Assim é a vida, infelizmente, sempre esquecemos de tudo, a memória é curta, não adianta matar o Leão, ele está em extinção...conviva com ele, respeite-o e num piscar de olhos, ele é um gatinho!
Bem, só queria dizer que estava feliz, mas como nunca dei conta de ser sucinta, saiu isto tudo.
Concluindo, peço a Deus, que quando esquecer de tudo isto, me lembre rápido, porque a vida é muito simples, basta encará-la de frente, exatamente como ela é para você! Não adianta usar os “ses” da vida, não adianta querer a vida do outro, isto só te fará infeliz. Seja feliz com a sua própria. Descubra sua receita e escreva. Estou tentando algumas, com diversos ingredientes!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Aquarela - Toquinho

Não espere sua vida descolorir, aproveite-a sempre!!
Hoje a minha família fornece-me as cores, me da a nota musical, me da o equilibrio, vivo deles e para eles. Já não sou mais eu, somos nós, e esta é a sintonia perfeita, na verdade é a sinfonia que faltava. Amo vocês! E muitas saudades!

Ludimila, sobrinha minha, compartilho com voce e te dou esta como presente de aniversário. Quero te ver sorrir, cantar, amar mais e mais sua família, que Ana, Daniel e Noslen renasçam em seu coração em todas as manhãs, como sol rompendo a noite para clarear no hoje e na velhice com netos, e muitas estorias pra contar.




quinta-feira, 8 de julho de 2010

A um ANÔNIMO abençoado!!!!!!

A voce que não conheço, a você que se doou para alguém que também não conhece, a você que se desprendeu deste mundo e resolveu salvar alguém, a você, a benção de uma mãe, o agradecimento eterno de uma mãe, a você que amo como conhecesse deste pequenino, e é para você que sempre pedirei ao PAI bençãos eternas, para que vc continue sempre sendo um homem bom e generoso, que nada lhe falte, em nome de Jesus. Amém.
E a todos que tiveram a oportunidade de doar e o fizeram, o agradecimento de todas as mães e a benção de Deus, com toda certeza.

Renascimento - 08/07/2010-

Existem infinitas formas de renascer, seja "da" ou "na" fé, "no" ou "do" amor ...dependendo da preposição, da conjunção, do advérbio.....há sempre uma mudança sutil de sentido, de entendimento, de questionamento? Sim.
Hoje, dia que minha filha RENASCE através de uma nova medula, e que eu por uma gripe, nao pude ver, estar...inicialmente achei terrível, depois acalmei... Tudo está acontecendo a seu tempo exatamente como Deus quer...
Rogerio viria para Curitiba em uma data, mudou esta data, o hospital mudou a data de internação...ou seja, o que parecia errado, era o CERTO, Rogerio chegou exatamente no dia em que teria que chegar, quando não mais entraria no hospital pela gripe, enquanto ele não estava aqui, tomei remedios, fui ao medico, e a gripe que teimava a me rodear não se instalou. Ela só chegou quando Rogerio chegou para me substituir...isto não são coincidências, é a mão de Deus. Se não via antes que todos os caminhos estavam sendo traçados, trabalhados era porque a cegueira humana, o dia a dia, não deixava. O egocentrismo humano está tão imbuído em nós, que é difícil separar. Acho que morreremos tentando lutar contra estas mazelas, porém se pelo menos continuarmos a tentar já terá sido a vida válida, se uns poucos conseguem edificá-la a um bem maior, que não o desprezemos mas ofereceremos nossas mãos aos seus serviços.
Então!!!!! Como não fui para o Hospital, fui para a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro aqui bem pertinho de nós. Muitas coisas passaram pela minha cabeça, coisas boas, de entendimento, até essa loucura das preposições; ela colocada na forma errada dá um outro sentido a frase, esse mesmo cuidado o ser humano tem que ter uns com os outros, para que ofender se podemos ficar calados, a gente não da conta nem da nossa própria vida, como querer interferir na vida do outro, seria muito bom se interferíssemos pelo outro, em prol do outro... seria maravilhoso. E outra coisa maravilhosa nesta loucura toda, é que preposição liga todos os elementos, EXCETO verbo a verbo, e quem é o Verbo na Bíblia...e o verbo se fez carne....é Cristo e quem pode ligar verbo a verbo, é a conjunção...Com a vinda Cristo tivemos a Santíssima Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Existe Fortaleza Maior? NAO.
Então passo a crer que o sofrimento é crescimento, crescimento espiritual. Isto não quer dizer que tenhamos todos que sofrer para crescer, de jeito nenhum, tenho certeza que Deus não quer isto, mas se em seu caminho algumas passagens tornarem difíceis, aproveite que neste caminho também tem muitas coisas boas.
Minhas fraquezas, o meu choro, meu egoísmo, a minha falta de perdão...etc estão sendo polidas para que eu trilhe um caminho melhor, tenho certeza. E em contra-partida estou recebendo uma nova chance, a dádiva de ter um novo parto, so que desta vez não é de cesariana, é parto normal mesmo e o que já era muito lindo, mais lindo está se tornando, uma criança renascendo para uma nova vida! Não preciso dizer mais nada.
E... talvez, sim: não menospreze os avisos, não julgue, seja caridoso, paciente, não deixe que a cobiça, o ser soberbo dite regras, faça uma análise sempre, não discuta com Deus, muito pelo contrário, espere NELE. E talvez eu escreva assim e aqui, pra quando mais tarde, ou agora mesmo, ou daqui alguns anos, eu releia e relembre, que renascer é possível sempre! Em todos os sentidos.

sábado, 3 de julho de 2010

Menos um dia...

Hoje Curitiba amanheceu cinzenta e fria, mas como um temor, um medo após uma oração, o céu foi se abrindo e os raios de sol tocando a terra. Exatamente assim fui me sentindo, acordei muito cedo e pela janela fiquei olhando a rua, algumas pessoas, todas encapotadíssimas saindo para mais um dia... Enquanto fui fazer café, e colocar umas roupas pra lavar, fiquei pensando, para mim é menos um dia, porque tenho certeza que também este será mais um dia vencido...me lembrei do meu genro Otavio, "é menos um dia nenen"...é exatamente assim...
Tomando cafe, liguei a televisão tinha um pastor dizendo sobre Deus convidando a sair da tenda....e que olhassem para as estrelas...tanto quanto seriam os milagres.
Nós humanos, principalmente na hora da angústia queremos o milagre da cura, mas também percebemos quantos milagres, temos e tivemos e que não agradecemos não é mesmo? O simples estado de estar vivendo e podendo compartilhar com as pessoas que amamos já é um dos infinitos milagres da vida. São tantos...tantos...
Nós tivemos um grande milagre, não sofremos esperando um doador, nem Kelly precisou com emergencia de um doador, foi tudo calmo, tranquilo...é a paz de Deus mesmo. Mas sofremos por coisas tão pequenas, que nem percebemos os milagres diários da vida.
Infelizmente sei, que muitos esquecem, ou deixam adormecer estes aprendizados depois que vencem a tormenta. Permita Deus que o que meus olhos veem hoje não me deixem esquecer, principalmente de agradecer.
Permita Deus que eu não brigue com o Senhor, e que se em algum momento eu perguntar porque, ainda assim o Senhor não me desampare e me mostre o caminho.
Que eu vença a saudade, a angustia e que eu possa em fevereiro participar de um grande acontecimento e em julho de um outro, mas principalmente que tenhamos sempre Deus acima de tudo e de todos, e tenhamos a união familiar sempre em nossas vidas. E ainda, que continuemos a aceitar e agradecer se os caminhos que queremos não forem os caminhos que Deus escolheu para nós.
Que assim seja para sempre!

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Crtl C / Crtl V

Este texto está no Blog do Padre Fábio de Melo. Acho que nem posso fazer isto, mas tinha que repassar a voces. Leiam! no mínimo tres vezes! Mas antes desarmem, de tudo e de todos, seja só o humano que Deus quer que a gente seja.
A interpretação para este texto é infinitamente do tamanho do ser humano que voce é!

O peso que a gente leva..

Olho ao meu redor e descubro que as coisas que quero levar não podem ser levadas. Excedem aos tamanhos permitidos. Já imaginou chegar ao aeroporto carregando o colchão para ser despachado?

As perguntas são muitas... E se eu tiver vontade de ouvir aquela música? E o filme que costumo ver de vez em quando, como se fosse a primeira vez?

Desisto. Jogo o que posso no espaço delimitado para minha partida e vou. Vez em quando me recordo de alguma coisa esquecida, ou então, inevitavelmente concluo que mais da metade do que levei não me serviu pra nada.

É nessa hora que descubro que partir é experiência inevitável de sofrer ausências. E nisso mora o encanto da viagem. Viajar é descobrir o mundo que não temos. É o tempo de sofrer a ausência que nos ajuda a mensurar o valor do mundo que nos pertence.

E então descobrimos o motivo que levou o poeta cantar: “Bom é partir. Bom mesmo é poder voltar!” Ele tinha razão. A partida nos abre os olhos para o que deixamos. A distância nos permite mensurar os espaços deixados. Por isso, partidas e chegadas são instrumentos que nos indicam quem somos, o que amamos e o que é essencial para que a gente continue sendo. Ao ver o mundo que não é meu, eu me reencontro com desejo de amar ainda mais o meu território. É conseqüência natural que faz o coração querer voltar ao ponto inicial, ao lugar onde tudo começou.

É como se a voz identificasse a raiz do grito, o elemento primeiro.

Vida e viagens seguem as mesmas regras. Os excessos nos pesam e nos retiram a vontade de viver. Por isso é tão necessário partir. Sair na direção das realidades que nos ausentam. Lugares e pessoas que não pertencem ao contexto de nossas lamúrias... Hospitais, asilos, internatos...

Ver o sofrimento de perto, tocar na ferida que não dói na nossa carne, mas que de alguma maneira pode nos humanizar.

Andar na direção do outro é também fazer uma viagem. Mas não leve muita coisa. Não tenha medo das ausências que sentirá. Ao adentrar o território alheio, quem
assim os seus olhos se abram para enxergar de um jeito novo o território que é seu. Não leve os seus pesos. Eles não lhe permitirão encontrar o outro. Viaje leve, leve, bem leve. Mas se leve.
fabiodemelo.com.br - © 2003/2010 - todos os direitos reservados
Twitter

É fenomenal! Ele disse tudo que gostaria de dizer hoje e não consigui!!!!!

terça-feira, 29 de junho de 2010

Constatação

Hoje foi terrivel chegar aqui de noite, terrivel...............sabe descobri que nao da pra mãe escrever em blog nao................tem coisa que nao precisa saber, e se precisar que saiba na hora...........
O que cada um tem que fazer é so viver...........as picuinhas deixar pra la... nada a ver, educação só a principal.......consertar o mundo não dá......é sofrimento demais..............e nao é o do meu que to falando, e o de tanta gente que vc acaba convivendo, que nem da pra acreditar......................
Mas uma coisa e certa se quiserem explodir alguns em Brasilia, eu ajudaria.
A saude no Brasil e uma pouca vergonha. Existe uma lei onde paciente (TMO) Transplante de Medula Óssea e acompanhante devem ser amparados e isto consta na Portaria do Ministerio da Saúde no.55 de 24 de fevereiro de 1999.
Cada estado estipula o valor da ajuda, são os chamados TFD (Tratamento fora Domicilio). No nosso caso, Minas, nao tivemos nenhum problema. Mas outros estados não estão tendo este dinheiro para pagar em dia estas pessoas. As piiição não esperam, a fome não espera, a sede não ajuda e assim por diante.
O que é piiiição??? Uma menininha de 3 anos brincando aqui em Curitiba, num lugar exclusivo, destinado a elas para este fim, com Assistencia Social e tudo, foi chamada pelo pai para ir embora, pq estava na hora, ela olhou e disse: agola não, não quelo ir pra piiição não, depois. Piiição é pensão! Com varios quartos e um unico banheiro. Antes ja tinha visto este mesma menina querendo ir embora pra piiição. Pois bem, esta família em questão está com o pagamento atrasado por falta de verba, este pagamento gira em torno de 50 reais dia para os dois! O pai autonomo não esta trabalhando e não tem com quem deixar a criança, recem-transplantada, nem para ir a Farmacia. Este pai me contou que o Estado do Espirito Santo é o que melhor paga, são 90,00 dia. Mas estas informações, não as conheço em detalhe.
Portanto a troca aqui e de sofrimento, superações, perdas e fé.
E o pior, é inacreditável, mas é verdade, existem famílias que abandonam os seus aqui no hospital, não voltam mais.
E não podemos julgar, sendo mãe, acho que é por desespero, e por frio e talvez ate por fome.
Quando esta tudo bem, vc só pensa que é falta de amor e faz ate um discurso!!!! Mas se viver o problema, talvez o discurso caia por terra.
Graças a Deus, que tenho uma família unida, graças a Deus que tenho amigos!
Hoje deixando minha filha la e so podendo voltar amanha as 14h00 fico meio que desesperada, mas se pensarmos friamente é o melhor para eles, pois trata-se de um CTI e não da pra circular por la mesmo.
Hoje nao tive fome, chorei muito, mas não deveria, porque sou privilegiada, atras de mim tenho Deus, minha familia, amigos e um estado que honra não só uma Lei mas uma atitude digna... Quando incendiar o Planalto, tenho que retirar antes alguns Governadores rsrsrsrsrs
 Que Jesus  abençoe a todos,  Sempre!
Beijos

terça-feira, 22 de junho de 2010

Tem certeza que não necessitará de sangue um dia?

Entendo que as pessoas não possam viver em função das outras 100% do tempo, porque ao constituirmos família, temos obrigações para com ela; os filhos são nossa responsabilidade. Os nossos pais tambem passam a ser um dia, é a prova do círculo, que vem e vai... Porém quando estamos em um lugar estranho e vc precisa como eu, conseguir 20 doadores de sangue e 10 de plaquetas...........e se este outro nao te conhece, vc sente ate que está incomodando.........vc sente realmente a miséria do mundo, ou das pessoas que vivem nele, e não podemos culpa-los, cada um tem a sua dor, um problema......Mas aí vem a dádiva maior, amigos fiéis, da sua cidade, te ajudam num outro lugar, através de outros amigos a conseguir o que parece impossível...........e nesta corrente que quero acreditar, que um dia todos este elos, ligados aos amigos de seus, meus amigos formem uma corrente tão grande, que consiga abranger todo um país...............Beijo no coração de todas as pessoas deste planeta!